Can’t remember to forget you

What I tend to do when it comes to you
I see only the good, selective memory

Sempre que um relacionamento acaba eu excluo as memórias ruins, gosto de guardar os momentos bons, os sorrisos, as risadas, o carinho; isso não me faz esquecer por quê acabou, só me permite continuar nutrindo um carinho por alguém que fez parte da minha vida.

Fall off the train, land in his bed
Repeat yesterday’s mistakes

Algumas vezes isso faz com que, em algum momento, eu volte a gostar da pessoa, ou achar que voltei a gostar da pessoa, porque eu sei que é alguém legal e que me fez feliz, outras vezes faz apenas com que eu fique tão próxima dessa ou daquela pessoa que esquecemos (ou quase) que já tentamos ter algum outro tipo de relacionamento devido à maravilhosa parceria que surge entre nós.

He a part of me now he a part of me

Quando eu me apaixono por alguém, essa pessoa se torna uma parte de mim, um aprendizado, um poema, uma música, um suspiro. Faço dos meus amores arte, porque eu amo a arte e, assim, amo a pessoa para sempre, mesmo que, talvez, já não goste mais dela, mesmo descubramos que nos gostamos mais à distância.

Nem sempre amar é estar perto. Amar também é libertar. Amar também é deixar que outra pessoa faça do seu amor uma pessoa mais feliz.

I can’t remember to forget you
Oh oh oh oh I keep forgetting I should let you go

Um dia é necessário deixar o amor ir, mesmo que ele fique na minha memória, no meu coração.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s