As páginas entre o teu corpo e o meu

O teu lirismo é um roçar de barba em meu pescoço
Teus contos são mãos passando pelo meu corpo
E, lentamente, me desnudam
Tuas rimas acariciam meus mamilos como uma boca ávida
E eu quero mais das tuas palavras, mais de ti em mim
Faz-me um romance?
Acaricia as minhas coxas com tua boca, beija-me e morde-me as costas
Mata, sem misericórdia, o meu personagem preferido
Bate-me forte o suficiente para me fazer gemer por mais
Esse suspense pelo teu próximo ato me arrepia
Os próximos capítulos vêm e me devastam
Tuas ideias penetram-me
Em princípio lentamente e depois tão rápido que não consigo me segurar
E vão mais fundo e mais fundo
Preenchem-me por completo
E quando terminas, no meu ápice de satisfação e exaustão
Eu ainda quero mais, eu desejo, eu preciso
Diz-me que haverá mais um conto ou dois para que eu durma tranquila em teus braços
E adormecemos de conchinha.

Anúncios

One thought on “As páginas entre o teu corpo e o meu

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s